segunda, 11 de abril de 2022 - 17:19h - 5541
“A estrutura incrível nos favoreceu muito como atletas”, comemora esportista durante competições de Wrestling no Amapá
Estado sedia pela primeira vez as seletivas para o Gymnasiade, uma das maiores competições escolares do mundo.
Por: Claudio Morais
Foto: Maksuel Martins e Albenir Sousa/Secom
Ginásio Avertino Ramos recebeu competições de taekwondo e wrestling.

Mais de 200 atletas de todas as regiões do país disputam, pela primeira vez no Amapá, a Seletiva Gymnasiade de Wrestling (luta olímpica). A abertura das competições nesta modalidade ocorreu no domingo, 10, no Ginásio Avertino Ramos, e as competições seguem nesta segunda-feira, 11.

O Governo do Estado planejou e implantou toda a estrutura para a competição, atendimento e segurança dos atletas, desde a saída do aeroporto até os hotéis e o Ginásio Avertino Ramos.

“É uma experiência maravilhosa, e uma grande responsabilidade representar o meu estado em casa. A estrutura aqui no Ginásio está incrível e todo o suporte que recebemos para as competições torna esse momento ainda melhor!”, comemorou a amapaense Leandra Figueiredo, que garantiu medalha de ouro no primeiro dia de competições de wrestling. Praticante da modalidade desde os 14 anos, aos 17 a estudante venceu cinco lutas contra a representante do estado de Pernambuco na seletiva.

Experiência positiva confirmada também por outro amapaense medalha de ouro. Para Marcus Martins, de 16 anos, o privilégio também é competir no Amapá com a família bem perto, na expectativa pela ida à etapa internacional, que ocorrerá em maio na França.

“Foi muita preparação para chegar a esse momento, na busca pelo ouro para o Amapá. Conseguir o topo do pódio, com todo o apoio que tivemos do Governo do Estado, e a minha família aqui perto, podendo assistir a tudo isso [...] É uma experiência que não tem preço”, frisou o medalhista amapaense.

A paranaense Maria Clara, de 15 anos, foi outra esportista que comemorou a estrutura, organização e especialmente a recepção amapaense aos atletas de norte a sul do país.

“Eu estou encantada, conheci um pouco da cultura, amei a recepção e essa estrutura incrível nos favoreceu muito como atletas. A recepção que tive aqui me fez sentir valorizada”, disse a competidora, que desde os 11 anos pratica luta olímpica.

Este acolhimento amapaense, sentido pela representante do Paraná, foi vivenciado também pelo carioca João Victor, de 17 anos. Desde os 7, o atleta pratica luta esportiva e garantiu o pódio nesta segunda-feira, 11. Até o término das competições, segundo ele, gostaria de conhecer mais o Amapá.

“A experiência aqui está indo muito além da competição. Nunca pensei que conheceria a Amazônia e, aqui no Amapá, tem  os sabores diferentes, um povo que nos acolheu muito bem, a cidade é bonita e a cultura também. Fomos recebidos com Marabaixo no aeroporto, e contamos com um ótimo ginásio pra gente competir. Quero aproveitar ao máximo a vinda para o Amapá”, celebrou o carioca

O clima de celebrações não está restrito aos competidores, mas agita também os técnicos. Para o treinador da delegação de Santa Catarina, Jairo de Andrade, o apoio com organização, alimentação, transporte e segurança dos competidores resulta em um só sentimento: felicidade.

“A força que o Governo  do Amapá faz para que esse evento aconteça é excelente, com todo o incentivo que recebemos. A seletiva está sendo ‘nota mil’, estou muito feliz em estar aqui com a minha equipe, com essa experiência que é excelente. Minha única queixa é não ter tempo suficiente para conhecer mais o Amapá, o que eu espero resolver muito em breve, trazendo minha esposa e o restante da família para conhecer esse estado maravilhoso”, comemorou Andrade.

GOVERNO DO ESTADO DO AMAPÁ
Site desenvolvido e hospedado pelo PRODAP - Centro de Gestão da Tecnologia da Informação
2015 - Licença Creative Commons 3.0 International
Amapá